23/07/2021

Pedágios terão que investir R$ 232 milhões na duplicação da RS-122 na Serra

Dentre todas as rodovias da Serra que serão pedagiadas e obrigatoriamente precisarão passar por melhorias e ampliações, dois trechos se destacam por serem especialmente problemáticos: A descida da Serra, entre Farroupilha e São Vendelino, e o contorno norte de Caxias do Sul, também conhecido como trecho urbano da Rota do Sol. 

Com pista simples, fluxo intenso de veículos e gargalos históricos, os dois segmentos serão o destino de R$ 232,7 milhões do total de R$ 258 milhões que a RS-122 receberá em duplicações e ampliações. O investimento precisará ocorrer até 2026 (quarto ano de contrato) e o valor não considera viadutos, rotatórias e passarelas, que também precisarão ser implantadas no trechos. Para se ter uma ideia, o Aeroporto Regional da Serra Gaúcha, a ser construído em Vila Oliva, tem orçamento previsto de R$ 200 milhões.

O contorno norte de Caxias terá duplicação na extensão de 11 quilômetros, entre o viaduto torto e o viaduto de saída para Flores da Cunha, ao custo previsto de R$ 33,89 milhões apenas para a ampliação de faixas. Ao longo do segmento também devem ser implantadas quatro rotatórias alongadas (semelhantes às existentes no entroncamento da RS-453 com a BR-470, em Garibaldi) e uma nova ponte sobre o Arroio Tega, além do alargamento da atual. 

O acesso ao bairro Cidade Industrial ganhará um viaduto, assim como o entroncamento com a Rua Ludovico Cavinato que será remodelada, mantendo o cruzamento em desnível. Entre o viaduto com a Ludovico Cavinato e a saída para Flores da Cunha, o trecho terá ainda pistas laterais em ambas as margens e uma passarela em frente à empresa Sul Corte (veja abaixo).

A maior parte dos recursos, contudo, vai para os 20 quilômetros que separam Farroupilha e São Vendelino, na descida da Serra. Serão R$ 198,86 milhões para duplicar um trecho com terreno acidentado e que exige correções de traçado. A pista será deslocada em ao menos dois pontos emblemáticos para a Serra: no entorno do km 43, onde um deslizamento deixou o trânsito interrompido por 42 dias no fim de 2019 e, na curva da morte, trecho que recebeu este apelido em função de diversos graves acidentes ocorridos no local.

— O que se busca é fazer com que haja adequações na rodovia, de forma a reduzir o ângulo das curvas e torná-la mais segura, permitindo uma velocidade um pouco maior de tráfego — explicou Leonardo Leão, representante do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), durante a audiência pública de quinta-feira (15). O banco foi responsável pelos estudos que definiram o modelo proposto.

O trecho de Serra também terá contenção das encostas e quatro rótulas alongadas. Além disso, serão construídos viadutos no km 55,6, próximo à empresa Estofados Itália, no km 57, acesso a Farroupilha junto à empresa Grendene, e no km 59, o entroncamento junto à empresa Tramontina.

Ao todo, a concessionária precisará investir R$ 1,3 bilhão ao longo de 30 anos em toda extensão da RS-122. Os R$ 25 milhões restantes destinados a ampliações serão aportados a partir do 13º ano de contrato para a triplicação do trecho entre Caxias e Farroupilha. Além disso, R$ 224 milhões serão destinado a melhorias, como as interseções e viadutos e R$ 871 milhões para recuperação e manutenção.

Reclamações entre Caxias e Campestre da Serra
Com cerca de 80 quilômetros e dois pedágios previstos, o trecho entre Caxias do Sul e Campestre da Serra tem sido alvo de reclamações de moradores de Flores da Cunha, Antônio Prado e Ipê. O argumento, manifestado inclusive durante a audiência pública, é de que os municípios serão penalizados por cobrança sem que haja duplicação.

A explicação é de que não há volume de tráfego que justifique uma duplicação. Contudo, o trecho terá 16 rotatórias para melhoria de acessos até 2026, passarelas e outras melhorias, como reforço e alargamento de pontes.

— Neste segmento, existe previsão de grande investimento em acostamentos, com o alargamento da rodovia. Apesar de não ter duplicação, isso vai melhorar muito a fluidez — afirma o engenheiro responsável pelo projeto, Eduardo Padilha.

Apesar da previsão inicial de não duplicação, a equipe técnica afirma que a concessionária precisará fazer uma duplicação caso o volume de 12 mil veículos por dia seja atingido ao longo dos 30 anos.

O que está previsto


Contorno norte
Duplicação: R$ 33,89 milhões
Rótula alongada no km 69,2 (acesso à Estrada dos Romeiros): R$ 2,9 milhões
Viaduto com acessos em rotatória no km 70,1 (acesso ao bairro Cidade Industrial): valor não divulgado
Rótula alongada no km 71,7 (acesso à Fundação Marcopolo): R$ 2,9 milhões
Nova ponte sobre o Arroio Tega e alargamento e reforço da atual (km 73,5): 21,6 milhões
Rótula alongada no km 75 (acesso a Monte Bérico): R$ 2,9 milhões
Rótula alongada no km 76,4 (próximo à empresa Brasdiesel): R$ 2,9 milhões
Remodelação do entroncamento com a Rua Ludovico Cavinato (km 78,2), mantendo viaduto: R$ 5,85 milhões
Ruas laterais no acesso à empresa Brasdiesel e no trecho entre a Rua Ludovico Cavinato e o viaduto de saída para Flores da Cunha: valor não divulgado
Passarela no km 78 (em frente empresa Sul Corte): R$ 930 mil


Trecho Farroupilha-São Vendelino
Duplicação: R$ 198,86 milhões
Construção de contenção de encostas e correção de traçado nos kms 43 (próximo a ponto de desmoronamento em 2019) e 47 (curva da morte): valor incluso na duplicação
Rótula alongada nos km 50 e 51,6 (região da localidade de Emboaba): R$ 2,9 milhões cada
Rótula alongada no km 53,9 (próximo a Nova Milano): R$ 2,9 milhões
Viaduto no km 55,6 (em frente à empresa Estofados Itália): R$ 7,07 milhões
Viaduto e passarela no km 57 (acesso a Farroupilha pela Grendene): R$ 7,5 milhões e R$ 930 mi respectivamente
Rótula alongada no km 58 (em frente ao posto Treviso): R$ 2,9 milhões
Viaduto no km 59 (entroncamento da empresa Tramontina): R$ 15,6 milhões


Caxias-Campestre da Serra
Terá rótula simples nos kms abaixo, com custo de R$ 300 mil cada. O total a ser investido é de R$ 4,4 milhões. Os pontos ficam entre Caxias do Sul e Antônio Prado.

km 81,48
km 89,31
km 89,92
km 92,35
km 93,63
km 94,65
km 96,4
km 113,2
km 119
km 120,55
km 121,57
km 127,76
km 128,74
km 129,71
km 131,56
km 148,65

Fonte: Jornal Pioneiro.

Compartilhar:

Receber novidades sobre o MobiCaxias

SUBIR