05/04/2021

MobiCaxias: Investimentos

O grupo MobiCaxias tem como um dos principais direcionamentos de trabalho a atração e a retenção de investimentos na cidade. Na primeira reunião da entidade, ocorrida ainda na semana passada, este foco foi classificado como o mais difícil entre os três objetivos primordiais. Os outros dois são o desenvolvimento turístico e da infraestrutura de acesso à Caxias do Sul. Visando o melhor desempenho do Município junto ao setor de empreendimentos, o único avanço efetivo do grupo estaria na direção da criação de um perfil socioeconômico. 

Esta tarefa ficou com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Trabalho e Emprego (Sdete) e está em execução. A ação consiste na preparação de um documento de apresentação da cidade no cenário nacional e internacional. Assim, a ideia é que Caxias tenha uma ferramenta que exponha os potenciais locais e defenda a aplicação de recursos, instalação de plantas e outras oportunidades para o território caxiense.

Na agenda que marcou a posse do prefeito Adiló Didomenico (PSDB) como representante da Prefeitura no Mobi, chamou a atenção manifestação de um dos vice-presidentes do grupo. Na ocasião, o empresário Astor Schmitt argumentou pela revisão de legislações e a criação de incentivos fiscais. Contatado pela reportagem da Rádio Caxias, ele defendeu a criação de um ambiente favorável aos negócios, para expansões e chegada de novos investimentos. 

Schmitt entende que é necessária uma nova postura, principalmente do Poder Público Municipal. O empreendedor pontuou que existe uma guerra tributária no Brasil, acrescentando que a cidade precisa adotar isenções de impostos para atrair novas empresas.

Para ele, a melhora da receptividade a empreendimentos precisa ser construída em conjunto com os governos Estadual e de Caxias. Para ele, é necessária a formulação de um quadro juridicamente seguro e menos burocrático para a instalação de novas plantas no Município. Conforme o empresário, as grandes companhias da cidade não devem deixar o local. 

No entanto, Schmitt chama a atenção para a redução do investimento das mesmas em Caxias do Sul. Outro alerta é para a falta da chegada de novos empreendimentos de grande porte que ocorre há décadas. O vice-presidente do MobiCaxias considera que estes são sinais do impacto negativo que resulta do desajuste na busca e na retenção de valores apresentado por Caxias.

 

 

Departamento de Jornalismo

Rádio Caxias

Compartilhar:

Receber novidades sobre o MobiCaxias

SUBIR